São Marcos - RS - Prefeitura Municipal

 

TOXOPLASMOSE: Ministério da Saúde deixa São Marcos, mas segue com as investigações

13/03/2015

Na última segunda-feira, dia 09, a equipe do Ministério da Saúde (EPISUS) que estuda o surto de toxoplasmose em nosso município retornou à Brasília.

Embora não estejam mais em São Marcos as investigações e análises de dados coletados continuam e um novo relatório de atividades foi divulgado hoje.

Confira o relatório abaixo:

RELATÓRIO DE ATUALIZAÇÃO DE INVESTIGAÇÃO DE SURTO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO EVENTO SOB INVESTIGAÇÃO


Data de atualização: 12/03/2015
Denominação do evento: Investigação de Surto de Toxoplasmose em São Marcos Brasil, fevereiro de 2015
UF: RS
Município: São Marcos
Data de início da Investigação pelo CEVS/RS: 20/01/2015
Data de início da investigação Episus: 05/02/2015
Data do retorno do Episus: 10/03/15

Equipe condutora da investigação Episus:
Marcelo Yoshito Wada - Episus/SVS
Eduardo Saad - Episus/SVS
Marcia Regina de Andrade - Episus/SVS
Igor Gonçalves Ribeiro - Episus/SVS

Caracterização do município:
O município de São Marcos/RS tem 20.105 habitantes (IBGE/2010), densidade populacional de 78,46 hab./Km2 e cerca de 90% da população residente em área urbana. Sua rede de atendimento à saúde é composta pelo Hospital Filantrópico Beneficente São João Bosco, três Unidades de Estratégia Saúde da Família (50% de cobertura), uma Unidade de Saúde Central, uma Unidade de Saúde na área periurbana e 03 laboratórios, sendo dois privados e um público.

SUMÁRIO CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO

introdução

No dia 20 de janeiro de 2015 a Vigilância em Saúde de São Marcos foi notificada pela Sociedade Médica do município sobre um possível surto na cidade.
A notificação ao departamento se deu porque profissionais médicos da Sociedade Médica atenderam nos dias 16, 17, 18 e 19 de janeiro um número expressivo de pacientes com os mesmos sinais e sintomas: cefaleia, cervicalgia, febre, alguns com dores retro-orbitais, mal estar geral e cansaço. Também apresentavam plaquetopenia, leucopenia, sem linfocitose, com transaminases alteradas. A hipótese diagnóstica primária foi Dengue e posteriormente Chikungunya, sendo negativos para Dengue. Dois exames ainda estão no laboratório e aguardam resultado Foram testadas 18 amostras para Toxoplasmose, sendo 16 delas IgM reagente, resultados estes recebidos em 30 de janeiro. Foram selecionadas duas amostras para Febre do Chikungunya, por apresentar edema de articulações além dos sintomas já descritos, enviadas para o Instituto Evandro Chagas – IEC no Pará, aguardando resultado. Dessa forma, se iniciou uma investigação voltada para um possível surto de toxoplasmose.
Foram realizadas buscas retrospectivas de consultas médicas do mês de janeiro em parceria com a equipe estadual. Foram revisados 1.215 prontuários triados 145 (11,7%) casos na primeira revisão, sendo 72 (49,6%) incluídos como caso suspeito na segunda revisão. A busca retrospectiva de consultas médicas de dezembro de 2014 está sendo realizada pela equipe estadual e municipal. Além desta, foram incluídos outras fontes de busca ativa: um laboratório privado por meio de envio semanal de exames para toxoplasmose e durante as entrevistas com os casos notificados, perguntando sobre conhecer outros casos suspeitos.
A equipe do Episus está realizando um estudo analítico do tipo caso-controle para determinar a possível fonte de infecção e os fatores associados ao risco de adquirir toxoplasmose.
Além disso, equipes de vigilância sanitária e ambiental estão realizando investigação relacionada à qualidade da água, alimentos, estabelecimentos e fornecedores no município.
Foram considerados casos, os residentes ou visitantes do município de São Marcos RS que, entre 01 de dezembro de 2014 e 08 de fevereiro de 2015, apresentaram manifestações clínicas e realizaram sorologia para toxoplasmose com resultado IgM reagente e IgG não reagente ou IgM reagente e IgG reagente. E para controles, foi utilizada a seguinte definição: indivíduos residentes ou visitantes do município de São Marcos - RS que, entre 01 de dezembro de 2014 e 08 de fevereiro de 2015, realizaram sorologia para toxoplasmose com resultado IgM Não Reagente e IgG não reagente, independente de sinais e sintomas.
Até o dia 04 de março foram entrevistadas 135 pessoas, 64 incluídas como casos e 71 como controles. Outras 40 pessoas estão selecionadas como controles e sendo agendadas para responder o questionário até dia 07 de março.
No bairro São José não há casos confirmados. Conforme informação da enfermeira da ESF deste bairro a população residente tem como hábito realizar as refeições no próprio domicílio e a aquisição de alimentos e congêneres em sua maioria é realizada em dois comércios (pequenos mercados) localizados no próprio bairro.
A curva epidêmica do surto aponta para fonte comum de contaminação, o que norteou as primeiras hipóteses para uma possível transmissão causada por alimento, não excluindo a possibilidade de contaminação por outras fontes ao mesmo tempo ou em um mesmo evento. Mostra um caso isolado no mês de dezembro de 2014 e casos iniciais na 1ª semana epidemiológica de 2015, aumentando gradativamente com pico na 2ª semana especialmente nos dias 15 e 17 de janeiro. Fonte: Questionário Episus – dados parciais 09/03/15
A curva epidêmica dos controles que apresentaram sintomas mostra um caso isolado no mês de dezembro de 2014 e casos na 1ª semana epidemiológica de 2015, com um aumento no dia 10, e queda nos dias subsequentes. O último referiu início dos sintomas no dia 07 de fevereiro. Fonte: Questionário Episus – dados parciais 09/03/15

Quanto ao perfil sócio demográfico dos casos, 57,8% são do sexo masculino. Dentre os casos do sexo feminino foi incluída uma gestante (3,7%) como caso. A mediana de escolaridade foi de 13 (0 – 20) anos. A renda familiar mensal variou entre de <1 a 7 salários mínimos, sendo que entre os casos a maioria tem renda de 1 a 3 salários e entre os controles de 4 a 6 salários. Fonte: Questionário Episus – dados parciais 09/03/2015
A maioria das pessoas entrevistadas está na faixa etária de <10 a 59 anos. Entre os casos a faixa etária mais acometida é de 20 a 39 anos. 55,6% são mulheres com idade entre 30 a 39 anos. Vale ressaltar que 78,1% são adultos jovens, com mediana de 30 anos de idade entre os casos, e de 24 anos entre os controles, o que sugere uma fonte de exposição comum, visto que os hábitos dos indivíduos destas faixas etárias são muito semelhantes. Fonte: Questionário Episus – dados parciais 09/03/2015

Dentre os principais sinais e sintomas dos casos a cefaleia mostrou-se mais frequente (95,3%), seguido pela febre (93,8)%. A sudorese noturna ocorreu em 84,4% nos casos, mialgia estava presente em 82,8%, linfonodos em 79,6%, astenia 76,6%. Destes, 61 (95,3%) procuraram atendimento médico (clinico geral ou outro) e um (1,5%) está recebendo tratamento específico para a doença por decisão do médico assistente.
Apresentaram alteração ocular 13 (20,3%) casos. As maiores queixas foram dor nos olhos (53%), visão borrada (38%) e lacrimejamento, fotofobia, prurido e escotomas (23%). Dentre os controles (2,8%) referiram apresentar as mesas alterações. Todos os casos com sintomas oculares realizaram consulta oftalmológica e três (6,5%) apresentaram alteração ocular com solicitação de exames específicos e início de tratamento. Outros 51 casos (79,6%), sem sintomas oculares, realizaram consulta oftalmológica e não apresentaram alterações ao exame.
Dos controles, (17,5%) referiram apresentar alguns sintomas, cefaleia (21,3%), febre (17,5%), sudorese (8,8%) mialgia (13,8%). Todos os controles realizaram exame laboratorial para toxoplasmose sem evidência de IgM e IgG, atendendo a definição de controle. Fonte: Questionário Episus - dados até 09/03/15

Os locais mais frequentados pelos casos e controles, foram: restaurantes (95,3%), seguido de padaria (54,7%), sorveteria (50,0%) e lanchonete (48,4%). Existe a suspeita de alimento envolvido no surto, e vale destacar que o clube da cidade, possui um restaurante que funciona em horário comercial, e é considerado um ponto de encontro de parte da população e 39,1% entre casos e controles frequentam o referido local. Fonte: Questionário Episus - dados até 09/03/15

No período de 01/12/14 a 08/02/15, os alimentos mais consumidos pelos casos e controles foram frutas, verduras, hortaliças e carne de frango. Os estabelecimentos onde os alimentos são adquiridos se referem a supermercados, padarias, feirantes itinerantes. Fonte: Questionário Episus - dados até 09/03/23015

A fonte de água mais consumida pelos casos e controles foram água mineral 67,2 %, água da torneira 56,3% e filtrada 35,9%. Fonte: Questionário Episus - dados até 09/03/23015

Vigilância Epidemiológica

Foi apresentado o resumo dos casos acompanhados até o momento. Entre os casos confirmados há três gestantes, duas no primeiro trimestre da gravidez, e três casos toxoplasmose ocular todos em tratamento.
O último caso confirmado tem data de inicio dos sintomas em 12 de fevereiro. Foi detectado um caso com inicio dos sintomas em 22 de dezembro de 2014 que está sendo reinvestigado para confirmação desta data.

Doenças
Dengue
Nª de suspeitos: 21
Nº de coletas:21
Nª de confirmados: 0
Nº de descartados: 21
Óbitos: 0
Aguardando resultado: 0

Chikungunya
Nª de suspeitos: 5
Nº de coletas: 2*
Nª de confirmados: -
Nº de descartados: -
Óbitos: 0
Aguardando resultado: 2

Toxoplasmose
Nª de suspeitos: 313
Nº de coletas: 292
Nª de confirmados: 130
Nº de descartados: 79
Óbitos: 0
Aguardando resultado: 83
Dados parciais até 11/03/2015

*Aguardando resultado

Vigilância Sanitária e Ambiental

A equipe de vigilância ambiental está avaliando, desde o dia 05 de fevereiro, o abastecimento de água do município e de alguns estabelecimentos comerciais.
O Sistema de Abastecimento de Água (SAA) cobre 87,4% da população. A captação de água é oriunda do rio Riachinho para a barragem São Luiz. Ao lado desta barragem há uma empresa que possui câmara fria para frutas da época colhidas na região. As frutas em seu interior recebem uma aspersão com água que vem de açude próximo a represa, para remoção de sujidades, depois jogada para o ambiente. Em outra divisa da represa há uma pequena criação de gado.
Na inspeção realizada pela equipe na estação de tratamento e reservatórios não foi identificada presença de felinos e observou-se que algumas unidades necessitam de pequenos reparos. A rede de abastecimento possui 11 reservatórios e sua última limpeza foi efetuada em 2008. Em agosto de 2014 houve troca de canalização em diversas ruas da cidade.
Em torno de 12% da população é abastecida por Solução Alternativa Coletiva e a cloração é feita por empresa terceirizada.
O SISÁGUA cobre cerca de 100% dos serviços de fornecimento de água.
Não existe rede de esgoto na cidade e todos os domicílios possuem fossa séptica. As águas servidas correm junto com as águas pluviais e são destinadas ao arroio Gravataí (que passa no centro da cidade). Não existe Centro de Zoonoses e a Sociedade Protetora dos Animais recolhe os animais errantes, castra e os acolhe em casas de passagem para posterior doação.
Há dois frigoríficos que abastecem a cidade, via comercio local. Um deles, com oito funcionários, abate gado recebido de produtores da região e de outros municípios como Vacaria, Campestre da Serra, São José dos Ausentes e Caxias do Sul. São abatidos em entre 25 a 30 animais por mês e está sob Inspeção do SIM.
O outro não faz abate, recebe suínos do município Vila Langaro realizando o processamento de embutidos. Produzem: Copa, Salame, Codeguin, Linguiça, Morcela Branca e Preta, etc. e há mais ou menos 05 meses não fabricam torresmo e bacon. Há fiscalização de 15 em 15 dias pelo CISPOA. Este estabelecimento comercializa carne suína in natura. Esteve em férias coletiva de 08 a 18 de fevereiro de 2015.
A Secretaria de Agricultura Municipal informou, em reunião com a equipe, que a maior parte dos domicílios da área rural produz frango, ovino, bovino e suínos para consumo próprio e que no final de 2014 houve venda de leitões destes produtores para a população. Além disso, informaram que há salame produzindo no município de Flores da Cunha e leite cru vendido de porta em porta.
A Sociedade Protetora de Animais, em reunião com a equipe, informou que há recolha de cerca de 100 gatos de rua ao mês, muitos deles filhotes.
A equipe de Vigilância Sanitária e Ambiental elaborou em conjunto um questionário sobre hábitos de consumo da população para identificação de alimentos perecíveis mais comercializados bem como identificação de seus fornecedores para ser aplicado em 15 estabelecimentos mais movimentados da cidade.
Os dois frigoríficos já foram visitados para avaliar as condições higiênico sanitárias e o abastecimento de água. Em um deles há um poço artesiano de 95 metros de profundidade revestido de PVC aproximadamente a um metro de um pequeno açude cuja água é destinada a um reservatório com capacidade de 40 mil litros. Esse reservatório distribui água para duas caixas d’água de mil litros cada, uma em mau estado de conservação.
O outro frigorífico tem abastecimento de água de um poço raso de 2 metros de profundidade com revestimento de cimento sem cobertura adequada, utilizado para lavagem de equipamentos, instalações internas e higienização interna.
Nos dias 03, 04 e 05 de março foram realizadas ações pela equipe da Vigilância Sanitária e Ambiental do estado e do município, onde foram coletadas 10 amostras de água em diversos pontos, dentre eles na ETA bruta, na ETA tratada e em cozinha de restaurante, as quais foram encaminhadas para o laboratório UEL no Paraná. Os resultados das amostras foram negativas quanto à presença de Toxoplasma gondii pela Reação em Cadeia em Polimerase (PCR).
As inspeções sanitárias foram realizadas em sete estabelecimentos nos quais foram coletadas 10 amostras de alimentos, entre eles carne, embutidos e hambúrguer, além de amostras fiscais de água envazada, sendo encaminhadas ao Lacen de Porto Alegre, e posteriormente para o Laboratório de Protozzologia da Unicamp.








Voltar Voltar
zgraf.net