São Marcos - RS - Prefeitura Municipal

 

Ações contra Aedes Aegypti continuam sendo feitas em São Marcos

08/04/2016

Diante da atual situação em nosso país, no que se refere ao mosquito Aedes aegypti e as doenças por ele transmitidas, a Vigilância em Saúde junto com as Agentes Comunitárias de Saúde (EACS) e voluntários envolvidos, iniciou o ano trabalhando com o objetivo de bloquear o desenvolvimento de focos, larvas e mosquitos da espécie.

Armadilhas, pontos estratégicos, levantamento de índice, reconhecimento geográfico e verificação de locais denunciados são algumas das atividades rotineiras realizadas pela equipe de Vigilância Ambiental, que é constituída por 03 agentes.

Na realização destes trabalhos são coletados amostras de larvas quando encontradas. As mesmas são enviadas ao laboratório LACEN, em Porto Alegre para análise de suas espécies.

Em nosso município temos 33 armadilhas instaladas em locais estratégicos. Essas são pneus com água no interior, pendurados a uma altura média de um metro do chão, visando encontrar amostras de larvas para descobrir que tipo de mosquito circula em São Marcos.

Semanalmente são feitas visitas aos locais onde estão instaladas, mantendo-as eficazes para capturar as possíveis larvas. No oitavo dia do mês de fevereiro, na realização das atividades relacionadas às armadilhas, no bairro Henrique Pante, foram encontradas seis larvas, analisadas como Aedes aegypti.

A partir da data de descoberta da presença desta espécie em nosso município, o trabalho foi intensificado através da procura de possíveis criadouros em um raio de 300 metros ao redor da armadilha.

Quinzenalmente são feitas visitas em pontos estratégicos, que são 22 imóveis distribuídos pela cidade, esses lugares são constituídos por borracharias, chapeações, reciclagens, lojas de materiais de construção, possíveis locais de proliferamento do mosquito Aedes aegypti.

Outras ações preventivas vêm sendo realizadas, em forma de “arrastão”, passando de casa em casa, terrenos baldios e comércios, orientando a retirar tudo o que possa acumular água, também está sendo entregue material educativo que abordam o assunto das doenças e seus sintomas, forma de transmissão e formas de combater o Aedes aegypti.

Está sendo realizado pelo menos um “dia D” mensal. Geralmente o trabalho é realizado por equipe de Vigilância em Saúde e Agentes Comunitárias de Saúde, em algumas vezes contamos com o auxilio de voluntários.

No dia 13 de fevereiro, sábado, foi realizado o primeiro dia D de combate ao Aedes aegypti do ano de 2016. A ação contou com a Equipe de Vigilância em Saúde, Agentes comunitárias de Saúde, Escoteiros, Enfermeiras e 1 técnica de enfermagem, 2 funcionárias do PIM ,1 voluntário e trabalhadores da Secretaria Municipal de Saúde. Foram visitadas 737 imóveis ao todo, sendo 251 fechados e 06 recusados a receber visita e orientações. Os trabalhos foram realizados no bairro Zona Scodro e não foi feito coletas de larvas (material).

No dia 17 de março, quinta-feira, realizamos o segundo dia D, que contou com 4 pessoas da Equipe de Vigilância em saúde, 13 Agentes Comunitárias de saúde, 2 Enfermeiras , 1 Técnica de Enfermagem, 2 pessoas da Secretaria de Meio Ambiente e voluntários. Foram visitadas 777 imóveis ao todo, sendo 262 fechados e 10 recusados a receber visita e orientações.

Neste dia foram terminados os quarteirões que ficaram sem visitas no dia D anterior e deu-se inicio ás visitas no bairro Centro, neste dia foram coletados 08 tubitos com amostras de larvas e pupas. Nenhuma amostra analisada confirmou a espécie Aedes aegypti.

No dia 06 de abril, quarta feira, realizamos mais um dia D mensal, contou com 2 pessoas da Equipe de Vigilância Ambiental e 11 Agentes Comunitárias de saúde. Foram visitados 272 imóveis, sendo 117 fechados e 1 recusados. Neste dia houve o término das visitas no bairro centro. Quatro tubitos com larvas e pupas foram entregues á analise e aguardam resultados.

Para o próximo dia D, estamos elaborando áreas de visitas no bairro Henrique Pante e Santini.


Voltar Voltar
zgraf.net